Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2013

UMA REFLEXÃO SOBRE A MEDICINA NO BRASIL

Eu gosto muito de ser médica. MUITO! Não porque acho que seja uma profissão melhor ou pior que qualquer outra e sim porque essa é a missão que escolhi em vida. Mais que uma profissão, entendo minha vida profissional como parte de mim. Gosto da troca com o outro, aprendo, ensino, somo, reparto. Trabalho com motivação.
Entretanto, essa semana, todos nós médicos fomos obrigados a tirar um momento para refletir sobre nosso papel, nossa carreira, enfim, nossa profissão.
Há tempos a medicina perdeu aquele “glamour” dos séculos passados. Somos trabalhadores como qualquer outro, ganhamos pouco, trabalhamos em várias jornadas paralelas, dormimos mal, comemos pior, vivemos com rotinas bem diferentes daquelas que orientamos aos nossos pacientes como saudáveis.  
Mas o que se viu nessa semana com o pronunciamento da nossa “presidenta” foi um descaso, um desrespeito a uma classe de trabalhadores. Dizer que a causa dos problemas da saúde no Brasil é a falta de médicos, me parece uma piada de muito ma…

ESCOLA ESPECIAL: Considerações finais

Continuando no difícil assunto da semana passada, o momento de colocar um filho na escola é bastante delicado. Se esse filho é uma criança especial, a ansiedade se multiplica por mil.

O que mais ouço são perguntas como: " quem vai trocar a fralda dele?", "ele não fala, como vai se defender?", "será que vai aprender?". São perguntas para as quais infelizmente não tenho respostas. Não sei se essa criança será bem cuidada, bem aceita, bem tratada, incluida realmente.

Tenho casos lindos de inclusão social e pedagógica. De escolas que abraçam a causa, fazem adaptações, estudam, incluem. Tenho casos horrososos de descaso, falta de respeito e até de humanidade. Professores que colocam apelidos no deficiente, que o deixam fora da sala sentados num canto, enfim, toda gama de barbaridades.

O sistema de educação brasileiro, assim como o da saúde, é ruim, falho. Ruim para inclusão na rede privada e medonho na rede pública. A inclusão se faz às custas de talentos individ…