Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2015

Congresso Americano de Epilepsia

No início deste mês estive no 69º Congresso da Sociedade Americana de Epilepsia. Sediado na bela e fria Filadélfia, o Congresso foi intenso e extremamente interessante.
Muito se falou das novas técnicas de diagnóstico nas epilepsias, especialmente na área da genética e da neuroimagem. Outro ponto muito discutido foi o das comorbidades psiquiátricas nas epilepsias, especialmente na infância. Transtorno como o de Déficit de Atenção e Hiperatividade, o ansioso e até mesmo o do Espectro do Autismo são mais frequentes em pessoas com epilepsia, mesmo as antigamente classificadas como “benignas” e devem ser ativamente investigados e tratados concomitantemente.
Falando em tratamento, esse foi o ponto mais fraco do congresso, em minha opinião. Falou-se de alguns novos medicamentos, revisitaram-se alguns já conhecidos, mas nenhuma grande novidade. A “grande” droga para tratamento da epilepsia, infelizmente, ainda não chegou.
Outro ponto interessante foram os dispositivos para monitoramento de cri…

Estimulação Precoce: por que iniciar a intervenção cedo é tão importante?

Na medicina a gestação é contada em semanas e dura de 38 a 42 semanas (os famosos 9 meses, são as 40 semanas de gestação). Todo bebê que nasce antes de 37 semanas, é então considerado prematuro ou pré termo. Entre 37 e 38 semanas, chamamos de limítrofe. Muitas são as complicações que podem ocorrer no nascimento prematuro, entretanto com a melhora do suporte gestacional e neonatal, boa parte destas situações pode ser evitada ou tratada precocemente. Entretanto devemos ter em mente que esse é um bebê que nasceu imaturo e não totalmente formado e por conta disso merece uma atenção e um cuidado especializados. Embora os avanços tecnológicos nos cuidados neonatais proporcionem maior sobrevivência de bebês prematuros, incluindo os prematuros extremos, com menos de 31 semanas de idade gestacional e/ou com peso menor do que 1.500g, esses pequenos apresentam risco para alterações do desenvolvimento e para sequelas neuromotoras e sensoriais, tais como paralisia cerebral, transtorno do espectro do…

Setembro e suas possibilidades

Setembro foi um mês de muito trabalho e muitas novidades interessantes na Clínica Vivere. Mas vocês já sabem, muito trabalho e muita novidade significam menos tempo para o blog. No início do mês, como relatei no post anterior, participei do Congresso Brasileiro da ABENEPI. Muita informação, muita troca de experiência e sempre a parte boa de rever os amigos. Na sequencia, proferimos (eu e a neuropsicóloga Melanie Mendoza) uma palestra para pais e responsáveis de crianças surdas que frequentam o Instituto Adhara, em Cotia. Uma manhã muito rica de troca de experiências e dúvidas. Aprendemos muito sobre a cultura surda e a dificuldade de inclusão nos serviços médicos e na avaliação destas pessoas. E para fechar o mês, nossa neuropsicóloga Melanie viajou até Santa Catarina a convite da AMA Brusque para participar do II Jornada de Atualização em TEA (Transtornos do Espectro do Autismo). Além desses eventos, solidificamos na clínica o projeto de estimulação multiprofissional para crianças com…

XXIII Congresso Brasileiro da ABENEPI

Semana passada, participei do XXIII Congresso Brasileiro da ABENEPI. A fria, bela e chuvosa Campos do Jordão nos recebeu de braços abertos para uma jornada intensa de estudos dos Transtornos Neurológicos e Psiquiátricos que acometem nossos pequenos. Transtorno do Espectro do Autismo, Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, Deficiência Intelectual e Epilepsia (tema este que participei também como conferencista) foram os assuntos mais debatidos no encontro. Reabilitação, diagnóstico, prognóstico, tratamento medicamentoso, tudo discutido por convidados nacionais e internacionais de alto padrão. Algumas novidades, muitas dúvidas e uma grande certeza: a realização de um diagnóstico apurado e precoce e uma intervenção geralmente multidisciplinar e também o mais precoce possível é o que muda para melhor a evolução de praticamente todos esses quadros. Um abraço Dra Alessandra


Vamos ao estudo! As novidades que vem por aí.

Os dois últimos finais de semana passei estudando. Vocês já sabem o quanto eu adoro estudar. Sou uma curiosa por natureza, ainda mais quando vejo no estudo uma possibilidade de cuidar cada vez melhor dos meus pequenos.
No dia 16 de maio, eu a neuropsicóloga Melanie Mendoza fomos a Campinas no simpósio Braincare (www.grupobraincare.com).
Colegas de profissão e parceiros, o evento foi organizado de forma muito competente e contou com palestras interessantíssimas, que abordaram o TDAH, os Transtornos do Espectro do Autismo, as Desordens do Processamento Auditivo Central, a Dislexia e especialmente, a reabilitação e as estratégias de ensino em situações especiais, assim como intervenções para memória e atenção.
Sempre saímos desses eventos cheias de ideias e motivadas a melhorar cada vez mais nossa abordagem.
E como dizia o subtítulo do evento, “o cérebro nunca para de nos encantar”.Quanto mais estudamos, mais abrimos possibilidades de melhor intervir, estimular e dar às nossas crianças e a…

EXEMPLO É O MELHOR CONSELHO

Hoje vou dividir com vocês uma história pessoal. Não que eu vá virar uma blogueira fitness (Rsrs) mas quero compartilhar as mudanças que fiz na minha vida nesses últimos 6 meses.

Várias vezes já postei aqui a necessidade da gente se cuidar, ter um hobby, uma distração, algo que você goste de fazer, tirar um tempo para você.
Sei que quando a gente vira mãe, isso fica cada vez mais distante. São muitas demandas: filhos, casa, trabalho, tudo junto e misturado. Mas se não fizermos disso uma prioridade, nunca vamos ter tempo.
Há alguns anos decidi viver melhor, trabalhar menos, me adaptar a viver com menos, ter tempo para todas as refeições e ter uma vida mais saudável.
Mas fui me perdendo no caminho... Voltei a comer mal, no carro, sem regras ou horários e parei de me exercitar, sempre culpando a falta de tempo. E aí meus amigos, não há segredo. A combinação disso resulta em ganho de peso, desânimo e perda da saúde.
E comigo não foi diferente. Aumentei muito de peso, um cansaço físico eterno …

UM ANO DEPOIS

Vou compartilhar com vocês hoje o texto da Neuropsicóloga Melanie Mendoza sobre o primeiro ano de funcionamento da nossa clínica.
Um texto lindo, emocionante, especialmente para nós,  que estamos construindo com muito amor e dedicação um espaço fundamentado naquilo que acreditamos.
Esse ano passou rápido, como só passam os momentos felizes. 
Fomos, somos, estamos muito felizes. 
E cheios de ideias. E cheios de novidades!
Segue o texto:
Em abril a Clínica Vivere fez um ano de existência! A clínica surgiu da vontade de criar em consultório um ambiente em que os transtornos do desenvolvimento e da aprendizagem fossem tratados da maneira global e com uma forte integração entre os profissionais de diferentes áreas.
Antes da inauguração da Clínica Vivere, eu e a Dra. Alessandra atuamos em conjunto em serviço do terceiro setor e em pesquisa e atendimento na USP. Nestes lugares sempre debatíamos sobre as melhores abordagens disponíveis para cada paciente gerando um serviço de melhor qualidade e inte…