Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de 2014

O TEMPO NÃO PARA

Vai chegando o final do ano e vocês que já me conhecem sabem que gosto de fazer balanços. E esse foi um ano muito positivo, entretanto, esse balanço final de 2014 ficará para outro momento.
O balanço que farei hoje é sobre nosso blog. Foi um ano difícil para o blog (rsrs). Na correria do dia a dia, apareci pouco por aqui. Acabei me dedicando mais ao site do consultório – que está cada dia mais lindo (www.vivereclinica.com) e às páginas do facebook (www.facebook.com/draalessandrarussoneuro e www.facebook.com/clinicavivere), escrevendo assim menos no blog.
Mas esse canal, que foi a primeira comunicação virtual que tive com vocês é muito importante para mim, por isso, ano que vem, retomaremos os posts técnicos, permeados pelas histórias que adoro compartilhar.
Histórias de lutas, de conquistas, de alegrias e algumas, infelizmente, de tristeza. Mas sempre com a certeza de que lutamos por nossos pequenos. Por uma saúde melhor, por uma escola de melhor qualidade, por uma melhor interface saúde,…

GRUPO DE TRANSTORNOS PSIQUIÁTRICOS E DÉFICITS COGNITIVOS EM EPILEPSIA

Divulgando um serviço importante:
O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP conta agora com um ambulatório para crianças com EPILEPSIA ROLÂNDICA (ou EPILEPSIA BENIGNA DA INFÂNCIA COM PAROXISMOS CENTROTEMPORAIS) e adolescentes/adultos com EPILEPSIA MIOCLÔNICA JUVENIL. Os pacientes com estas síndromes epilépticas podem apresentar distúrbios cognitivos e psiquiátricos sutis, que podem passar despercebidos pelos familiares e demais no início do quadro. A detecção precoce e o conhecimento destas características permite a intervenção precoce, quando necessário, a fim de evitar que estes déficits se agravem posteriormente. Pacientes com estas síndromes epilépticas que já apresentem distúrbios cognitivos, dificuldades escolares, dificuldades de aprendizado, TDAH, transtorno ansioso ou depressivo também serão avaliados e orientados. Este se caracteriza como um programa único. Para tal, o ambulatório oferece avaliação multidisciplinar com a participação de Neurologistas, Neuropediatr…

ÓRTESES DE MEMBROS SUPERIORES

A órtese é um dispositivo utilizado, geralmente em alguma articulação,visando alinhamento biomecânico, ganho ou auxiliona função, evita também deformidades e em alguns casos sua ação é de  diminuição de dor.
Ela deve ser prescrita pelo terapeuta que acompanha o paciente no processo de reabilitação.
Pode ser comprada (as pré-fabricadas) em farmácias, lojas ortopédicaou confeccionada pelo terapeuta especializado.

A Fisioterapia Neurológica na Clínica Vivere

E finalmente nossa equipe de atendimento, estimulação, habilitação e reabilitação está completa.
Agora, a Dra Aline Araújo, fisioterapeuta, passa a integrar o time de profissionais da clínica Vivere. 
Segue abaixo texto de estréia.

Aline Araújo 
Fisioterapeuta (UNIARARAS 2009) Especialista em fisioterapia neurofuncional adulto e infantil (Santa Casa SP 2011) Aprimorada em fisioterapia neurofuncional adulto (Santa Casa SP 2012) Especialista em Acupuntura e Medicina Tradicional Chinesa (CEATA 2013) Habilitada para aplicação do Alberta Infant Motor Scale Técnica de Balance Cristais radiônicos Bandagem funcional básico e avançado Bandagem funcional Australiana - Dynamic Taping Fisioterapeuta do setor de Fisioterapia Infantil AACD Osasco
*** A fisioterapia neurológica ou fisioterapia neurofuncional tem como objetivo o tratamento, a recuperação e a diminuição dos sintomas e alterações neurológicas, que compreendam ou não problemas motores. Atua na restauração das funções como  a coordenação motora, o equ…

Algumas notas sobre o Tempo

Novo texto da Neuropsicóloga Melanie Mendoza
Hoje gostaria de escrever sobre tempo. Tempo para quem tem uma criança especial é algo raro, curto e precioso.
Raro porque quase nunca vejo pais ou mães dizendo que tiraram um tempinho para si ou que tem uma “folguinha” de vez em quando.
Curto porque os afazeres são muitos. Os afazeres da vida, do trabalho, da casa e, claro, com o filho. Crianças podem trazer alegria e prazer, mas dão trabalho. E como dão trabalho. Crianças com deficiência mais ainda: ajudar os filhos em diferentes tarefas, levar à(s) terapia(s), estimular e ensinar atividades - treino de atividades de vida diária, andador, fala, comunicação….
Precioso porque nós profissionais sempre falamos de diagnóstico precoce, estimulação precoce, “quanto antes melhor”, neuroplasticidade, janela de desenvolvimento, etc.
Tudo isso é verdade, mas gostaria de convidá-los à pensar nas outras situações em que a calma e a espera também são altamente terapêuticos.
Agora vocês devem estar pensand…

As angústias do dia a dia

Esse é um canal de muita liberdade, onde podemos dividir com nossas angústias e dificuldades do dia a dia. E são muitas as angústias. 
Crianças sem diagnóstico por anos a fio, sendo tratadas como preguiçosas, outras com diagnóstico mas sem a abordagem adequada, outros ainda com boa abordagem, mas com muitas inadequações ambientais e escolares. Enfim, muitos pontos para pensarmos.
Mas o ponto mais difícil é quando temos resistência familiar, especialmente em relação ao diagnóstico. É difícil para a equipe lidar com reabilitação quando não se segue as orientações, quando não se acredita que a criança não faz de propósito. 
Quando orientamos algumas adaptações ou apoio para dar a criança com deficiência ou com dificuldade um aparato mínimo para que ela expresse sua plena potencialidade e a família acha que estamos “facilitando demais a vida”. Esse é um ponto difícil de lidar. Porque se isso é verbalizado na consulta, fico com medo do que é dito em casa. A sensação é que não estamos todos no…