Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2014

Algumas notas sobre o Tempo

Novo texto da Neuropsicóloga Melanie Mendoza
Hoje gostaria de escrever sobre tempo. Tempo para quem tem uma criança especial é algo raro, curto e precioso.
Raro porque quase nunca vejo pais ou mães dizendo que tiraram um tempinho para si ou que tem uma “folguinha” de vez em quando.
Curto porque os afazeres são muitos. Os afazeres da vida, do trabalho, da casa e, claro, com o filho. Crianças podem trazer alegria e prazer, mas dão trabalho. E como dão trabalho. Crianças com deficiência mais ainda: ajudar os filhos em diferentes tarefas, levar à(s) terapia(s), estimular e ensinar atividades - treino de atividades de vida diária, andador, fala, comunicação….
Precioso porque nós profissionais sempre falamos de diagnóstico precoce, estimulação precoce, “quanto antes melhor”, neuroplasticidade, janela de desenvolvimento, etc.
Tudo isso é verdade, mas gostaria de convidá-los à pensar nas outras situações em que a calma e a espera também são altamente terapêuticos.
Agora vocês devem estar pensand…

As angústias do dia a dia

Esse é um canal de muita liberdade, onde podemos dividir com nossas angústias e dificuldades do dia a dia. E são muitas as angústias. 
Crianças sem diagnóstico por anos a fio, sendo tratadas como preguiçosas, outras com diagnóstico mas sem a abordagem adequada, outros ainda com boa abordagem, mas com muitas inadequações ambientais e escolares. Enfim, muitos pontos para pensarmos.
Mas o ponto mais difícil é quando temos resistência familiar, especialmente em relação ao diagnóstico. É difícil para a equipe lidar com reabilitação quando não se segue as orientações, quando não se acredita que a criança não faz de propósito. 
Quando orientamos algumas adaptações ou apoio para dar a criança com deficiência ou com dificuldade um aparato mínimo para que ela expresse sua plena potencialidade e a família acha que estamos “facilitando demais a vida”. Esse é um ponto difícil de lidar. Porque se isso é verbalizado na consulta, fico com medo do que é dito em casa. A sensação é que não estamos todos no…

O Sono Infantil e o Terror Noturno

Os primeiros anos de vida são fundamentais para o desenvolvimento pleno das potencialidades de todas as crianças. Especialmente no primeiro ano de vida, o cérebro passa por inúmeros processos de amadurecimento que repercutirão por toda a vida.
Sabe-se que o sono é fundamental para que o cérebro descanse e retenha os conhecimentos aprendidos durante o dia. Por isso, para a criança o sono é mais importante ainda.
A maior parte dos problemas do sono na criança, são o que chamamos de alterações na higiene do sono, ou seja, são comportamentais. Mudanças de pequenos hábitos podem ser o suficiente para resolver um problema que incomoda a família toda.
Durante o sono, existem ciclos que se alternam sucessivamente. Cada ciclo é composto por uma fase chamada Não–REM, que apresenta quatro etapas e uma fase chamada REM. No sono de 8 horas temos 4 a 6 ciclos de sono. Os diferentes distúrbios de sono ocorrem sempre em um determinado momento do ciclo.
Parassonia é o nome dado as alterações do sono na i…

Cuidando de quem cuida

Eventualmente falamos aqui sobre os cuidados ou o olhar para os cuidadores de indivíduos com deficiência, especialmente os mais graves e mais dependentes. Ter um tempo para dedicar a si mesmo é fundamental para poder cuidar do outro. Afinal, se não estamos bem, como vamos nos dedicar a alguma coisa ou a alguém?
Hoje quero voltar a esse assunto, porém com foco em outros cuidadores, os profissionais da saúde.
Vários empregos, alimentação ruim, pouco tempo para cuidar da própria saúde, carga de trabalho extremamente dura.
Como cuidar do outro assim? Como olhar para o outro sem olhar antes para nós mesmos? Faça o que eu mando e não o que eu faço? Quantos médicos que não fazem seus exames médicos há anos. Quantos terapeutas com dores pelo corpo. Sobrepeso, sedentarismo, depressão e por aí vai.
Essa situação não pode e não precisa ser assim. Cabe a nós escolher o rumo das nossas vidas. Eu amo muito o que faço, mas preciso de um tempo para mim. Preciso dormir, comer, fazer exercício, ir ao médi…